segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Não te convidei porque..



Vamos falar de ética na hora de convidar as pessoas.
Já falei aqui sobre quem você deve convidar para a sua festa (Leia aqui)
Aí que hoje eu estava pensando sobre a questão do não convidar e fiquei focada em algo que já falei na outra matéria, mas que quero dar um toque mais pessoal: "Não te convidei porque você não tem criança"

Eu acredito que eu já devo ter deixado de ser convidada pra muita festa porque não tenho criança (ainda).
Pois é, mas provavelmente esse monte de festa não foi tão importante pra mim, porque eu nem sei listar.

Já falei aqui algumas vezes que eu trabalho com crianças na igreja. Atualmente estou trabalhando em uma igreja que conheço bem pouco as pessoas de uma forma mais íntima a ponto de ser convidada para uma festa, mas isso é uma realidade isolada, porque na medida que sou próxima da família e da criança, automaticamente a própria criança requer a minha presença na sua festa. Sim, já recebi o primeiro pedaço de bolo de crianças com quem eu convivi por algum tempo.

E é disso que quero tratar aqui.

Alguns pais, selecionam a lista de convidados de acordo com a sua possibilidade financeira, proximidade/afinidade, família, amigos com filhos, etc.
Aí sobram os amigos queridos que não têm filhos (ou ainda ou por opção mesmo) e os solteiros.

Como lidar com isso?
Se você tem intimidade com a pessoa a ponto de achar que pode deixá-la de fora da lista de convidados porque "ela vai entender", você não deve deixar de fora.
Você deve olhar para a sua lista e reformulá-la de modo que deixe de fora aquelas pessoas pra quem você nem pensaria em dar satisfação, porque essas realmente não serão importantes na sua festa.
Você deve olhar novamente e tirar da sua lista aquela pessoa que daria o melhor presente, mas de quem o seu filho nem gosta tanto e você sabe que se não for não fará falta.
Você deve dar mais uma olhadinha na sua lista e tirar aquela vizinha, colega de trabalho, prima distante que você está convidando só porque tem crianças, mas que não faz parte do dia a dia do seu filho.

E finalmente, você deve colocar na sua lista as pessoas que fazem parte da vida do casal e da criança; essas têm que estar independente da condição financeira, se tem filhos ou não.
Afinal de contas, quando se faz uma festa de aniversário é para celebrar a vida da criança e os presentes são apenas consequência disso, pois se fosse diferente, o dinheiro investido na festa poderia ser para comprar os tais presentes que supostamente seu filho ganharia.

Por isso, não hesite em convidar aquela amiga, aquele casal, aquele colega do marido só por falta de filhos.
Não hesite em convidar a moça que ajuda na limpeza, aquela babá que já não trabalha mais pra família, mas que nunca perdeu o contato porque tem um carinho grande pelo seu filho.

E deixe pra lá aquelas pessoas que não fariam falta mesmo.

Pense nisso.
Fica a dica.
Com carinho
Deus abençoe
Tati Merino

Nenhum comentário:

Postar um comentário