domingo, 5 de fevereiro de 2017

Festa na Lage (Festa da Tati)

Semana passada (28/1) foi aniversário da minha amiga Tatiane.
Era pra ser festa surpresa, mas as coisas mudaram totalmente no meio do caminho.
Ela ficou sabendo da festa, mas não da surpresa.
O tema foi Minnie Vermelha.
Planejamos tudo com muito carinho, principalmente as amigas doidas (eu, a Ariana e a Lucimara)
A festa foi na "lage" da Ariana e é sobre isso que eu quero falar hoje.
Estamos acostumados a ver festas mega produzidas, com muitas luzes, movimentos, vídeos de retrospectiva, brinquedos eletrônicos; esquecemos que o melhor de uma festa é reunir pessoas que amamos e com quem queremos compartilhar nossas melhores alegrias.
Hoje eu estava fazendo almoço e pensando a respeito da "carne louca".
Isso mesmo, aquela carne deliciosa bem temperadinha, desfiada que tinha em todas as festas de criança dos anos 80.
A gente já ia pra festa pensando em comer coxinha e pão com carne louca. Sem contar o pão com patê, o barquinho de maionese, os canudinhos e os docinhos que as crianças passavam a tarde toda ajudando a mãe a enrolar. E o refrigerante, lembram das garrafinhas de vidro enfeitando a mesa com a "língua" do tema da festa?
Eu sou dessa época e acho que é por isso que eu gosto tanto de "colocar a mão na massa" toda vez que alguém me fala: "Vai ter festa"
Sim, eu amo produzir, decorar, encher bexiga, fazer enfeitinhos, separar as fotos pra retrospectiva ou pra colocar em alguma parte da festa.
Gosto mesmo dessas festas que a gente participa, faz as coisas, se envolve do começo ao fim.
Eu acho lindas as mesas super produzidas dos buffet's chiques, acho lindo, mas prefiro a "festa na lage", as risadas altas, as conversas, a intimidade e o carinho da informalidade.
Gosto de "tentar" pegar um docinho antes do parabéns, só pra ver como as pessoas reagem. (ou de ver alguém fazendo isso rsrs)
Gosto das brincadeiras na hora do parabéns, de oferecer o primeiro pedaço de bolo pra pessoa mais importante da vida, mesmo que tenhamos muitas pessoas importantes na vida e muitos primeiros pedaços de bolo em um único aniversário.
Gosto de festa caseira, feita com simplicidade, mas cheia de amor.
Um amor que você pode encontrar sim, no empenho de uma festa super produzida, mas que fica muito melhor quando está só com os mais íntimos e com quem realmente se merece estar.
Vamos resgatar a carne louca, o docinho enrolado pelas crianças, o som meio esquisito porque não é o melhor som de festa, as fotos coladas na parede, a festa na lage.
Porque o importante mesmo nessa vida é ser feliz. E a gente só pode ser feliz perto de quem a gente realmente gosta.
E você? Qual seu tipo de festa favorita?

Atualizado: se você quiser matar a saudade dessa época de festas tão divertidas dá uma olhada nessa matéria do BuzzFeedb clicando aqui
Abaixo, você encontra as fotos que tiramos do celular porque a esperteza aqui levou a câmera, mas esqueceu o cartão de memória.
Deus abençoe
Beijinhos da Tati










Nenhum comentário:

Postar um comentário