quinta-feira, 16 de março de 2017

Se perdendo no caminho

Hoje de manhã eu fui em um lugar que eu sempre vou (sempre mesmo), já fui algumas vezes sozinha, mas na maioria das vezes meu marido me leva ou vai junto comigo. Pois bem, saí no horário certo de casa só que desci um ponto antes achando que ia ganhar tempo. No entanto, esse foi meu erro, eu literalmente me perdi na rua, em um lugar que estou acostumada a ir.
Eu acho que estava com a cabeça em outro lugar. Aí to aqui pensando que as vezes a gente fica perdido porque acha que usar uma estratégia diferente vai fazer as coisas serem mais práticas, porém, contradizendo o que eu disse no post anterior, sem ser contraditória, em alguns momentos é muito importante manter o roteiro original para que as coias funcionem.
Se eu tivesse descido no ponto certo, não precisaria ficar andando de um lado pro outro, porque eu desceria em frente à rua que eu ia, mas quis inventar.
No biscuit não é diferente, por isso que há alguns anos eu insisto e trabalho com os mesmos modelos de bichinhos e evito criar ou copiar algum modelo que fuja daquele. Por falar nisso, ontem mesmo, eu estava fazendo um bichinho a partir de uma foto e demorou um tempão pra sair do jeito que eu queria e não ficou igual à foto.
A gente tem que sair do lugar comum sim, pra se aperfeiçoar e fazer melhor, mas nunca pra se perder no caminho.
A foto? Bem, ela não tem nada a ver com o texto, é sobre outro assunto, mas que eu conto quando postar a foto dos cavalinhos no palito.
Ela é só para o #tbt de hoje num post #tudojuntoemisturado


Nenhum comentário:

Postar um comentário